estrategia-digital
Estratégia de Comunicação

Estratégia digital: conteúdo que engaja

Por: Isabela Pimentel14/out/2020
Compartilhe:

Estratégia digital é algo que nem toda marca tem , mas que faz muita diferença quando pensamos em posicionamento, relacionamento e reputação.

Além disso, toda estratégia digital de comunicação precisa ser parte de um plano mais amplo, que foi embasado por um diagnóstico.

Então, hoje vamos falar sobre o livro ‘Contágio”, de Jonah Berger’. O autor começa a obra falando sobre o poder do Boca-a- Boca na decisão de compras e como os sistemas de recomendação contribuem para o contágio.

Nesse sentido, não compramos pelo preçou ou valor apenas, mas pela transformação que a história nos traz! Já pensou nisso na sua vida e cotidiano?

 

Ao contrário de anúncios criados com marcas com gatilhos mentais agressivos focados na escassez e medo, as recomendações tem sinceridade e objetividade, aumentando o compartilhamento orgânico e facilitando o reconhecimento de marca.

Sendo assim, é muito melhor atrair um público interessado que meramente assustado e com medo!

Como criar essa estratégia digital?

Uma das formas de levar seu conteúdo mais longe, ainda que seja específico, é saber criar uma história, uma narrativa.

Dessa maneira, nas palavras do autor, “contagioso é o conteúdo que se espalha por meio da influência social”. Demais essa visão!

Ele apresenta seis passos para criar um conteúdo que engaja:

  1. Moeda social : depoimentos;
  2. Gatilhos : mostrar relevância;
  3. Emoção: ao invés de falar da função, diga a emoção/sensação;
  4. Percepção : trazer exemplos palpáveis;
  5. Valor prático:  conhecimento  + competência e valor útil;
  6. História :  embutir conteúdos e produtos com histórias que vendam;
  7. gerar emoção: criar valor!

Por meio da moeda social, é possível contar uma experiencia única – as pessoas gostam de partilhar coisas que as deixem bem na frente das outras.

Um novo olhar

Estratégia digital precisa ser integrada

Já percebeu que todos os conteúdos que contém relato pessoal e história nos fazem ter vontade de contar?

Então, você lembra da criança que mostra um desenho depois que acabou de terminá-lo? Seu conteúdo deveria fazer o mesmo: dar vontade de partilhar em outros canais.

Também é importante saber alavancar uma notabilidade interna e a mecânica do jogo, ou seja, ao partilhar, fazer as pessoas se sentirem por dentro do negócio, como se fossem membros. Pense nos clubes de assinatura que existem e não são nada novo.

Dessa maneira, ele acredita que ao nos comunicar, não estamos apenas passando informação, mas falando algo sobre nós mesmos.

Outro ponto interessante do livro é a diferença entre  boca-a- boca imediato e o contínuo, onde você quer focar?

Entenda mais sobre os dois:

Imediato: você partilha informação sobre produto ao ser impactado;

Contínuo:  mantém conversas na semana seguinte;

Produtos apenas interessantes não sustentam um boca -a -boca contínuo. Ou seja, é preciso manter esse fluxo de contação de histórias sempre!

Associação de marca

Para despertar curiosidade e interesse, ele recomenda que se busque explorar os gatilhos naturais do seu produto ou serviço , como a associação de Kit kat ao Café!

Por isso, na hora de fazer associação, cuidado: quanto maior o número de coisas a que uma ideia está associada, mais frágil esse elo.

Uma grande lição é que não devemos focar as mensagens de marketing na informação, mas na emoção que ele desperta. Não é o fato, mas emoções subjacentes que levam a pessoa a agir.

Foco no conteúdo e estratégia digital

Assim sendo, o foco do conteúdo que engaja é sua capacidade de inspirar pessoas a se inspirarem e seguirem nossas dicas e conteúdos. Pense agora: o  quanto ainda falam do seu produto ou conteúdo depois de uma campanha?

Afinal, pessoas não pensam em termos de informação, mas sim em narrativas: a informação vem de carona e histórias são fontes de aprendizado cultural.

PONTOS PRINCIPAIS DO LIVRO

1.Ter produtos e ideias contagiantes;

2.Moeda social:  compartilhar coisas que geram boa imagem;

3.Gatilhos: recurso para oferecer benefícios na ponta da língua;

4.Emoção: quando eu me importo, realmente compartilho;

5. Público: feito para ser falado pelas suas audiências principais;

6.Valor prático: novidade que se pode usar;

7. História:  informação viaja disfarçada.

Gostou?

Confira a resenha do livro aqui

Aprenda também a criar uma campanha de comunicação integrada usando essas técnicas.

Assine nossa newsletter para receber dicas de #comunicacaointegrada #Estrategia #gestaodecises e #planejamentodecomunicacao todo mês

Assine nosso canal no Youtube para receber mais dicas semanais e aulas gratuitas sobre como criar uma campanha de comunicação e a Newsletter Mensal com artigos exclusivos e cases 

Então, se quiser se aprofundar ainda mais e adquirir conhecimentos bem estruturados sobre como planejar, gerir e monitorar a comunicação digital, conheça nosso curso FORMAÇÃO COMPLETA EM COMUNICAÇÃO INTEGRADA.

Texto: Isabela Pimentel 
*Jornalista, Historiadora e  Especialista em Comunicação Integrada
Imagem: Divulgação

Você também pode gostar de:

Newsletter

Receba os cases, notícias e novidades em seu e-mail.

Materiais Educativos

A partir da nossa expertise em Planejamento de Comunicação, Estratégia e Gestão de Projetos, desenvolvemos diversos materiais educativos para sua empresa.

Acompanhe nossos materiais educativos