projeto-de-comunicacao-integrada
Comunicação Interna

Planejamento de comunicação integrada e transformação digital

Por: Isabela Pimentel19/mar/2021
Compartilhe:

Planejamento de comunicação integrada em geral é um desafio das empresas, que não tem sinergia para se comunicar com funcionários e stakeholders externos.

Sabemos que, em tempos de tecnologias, redes corporativas e velocidade elevada na transmissão de mensagens, tudo muda rápido. Nesse cenário de transformação digital, sempre me pergunto: como cativar o coração do empregado, que já chega bem informado na empresa?

Por isso, costumo brincar:  é uma verdadeira disputa por atenção!

Vivenciei experiências em que redes supermodernas foram lançadas, mas não trouxeram o engajamento esperado.

Planejamento de comunicação integrada

Por outro lado, já estruturei processos simples de comunicação, mas que cativaram e conquistaram o coração das pessoas envolvidas. Eis aí a grande diferença: no planejamento colaborativo e na cocriação da estratégia.

Então, como mudar esse cenário e aliar tecnologia e humanização?

Como humanizar a comunicação interna?

Essa e outras perguntas são as que perpassam a mente dos gestores de Comunicação, RH e tantas outras áreas.

Por mais forte que venha a onda da transformação digital, a tecnologia precisa refletir:

  • a cultura da empresa;
  • o cotidiano das equipes;
  • facilitar os processos;
  • melhorar os fluxos.

 

Além disso, ela deve empoderar as áreas e potencializar a comunicação.

Novas visões da comunicação interna

Nas teorias mais clássicas da comunicação, que estudamos logo após ingressar na universidade, acreditava-se que uma única e mesma mensagem seria capaz de atingir diversos PÚBLICOS, o tão falado público-alvo. 

Assim, o ser passivo agiria exatamente da forma como a mensagem ditava, pois era inerte, sem história, e seria preenchido completamente de sentido por aquela tal mensagem direcionada.

Analisando essa lógica, vemos que os tempos mudaram, galera!

Por isso, quando vejo a palavra público-alvo em muitos planos de comunicação, sinto um certo arrepio na espinha.

Tanto quanto sinto quando ouço “assessor de imprensa” e “comunicação interna”. O quanto nos custa aplicar aquilo que estudamos?

Temos que ir além do interno e externo e pensar em planejamento de comunicação integrada.

Indo além do interno x externo

Lembrando das teorias da recepção e das relações públicas, podemos ir além e chamar os tais públicos de partes interessadas ou stakeholders.

Decerto, é claro que a empresa, ainda mais nos dias de hoje, em que existem diversas interfaces e plataformas de relacionamento entre público e marca, não pode nem fala com apenas “um público”. Então, como é que você é assessor apenas de imprensa? E quem é que cuidará de uma crise na rede social?

Dessa maneira, quando colocamos a comunicação em caixinhas e pensamos baseados em opostos (dentro x fora, interna x externa) a gente acaba perdendo muito, sabe por quê?

1.      Cada empresa tem múltiplas culturas.

2.      O público não pode ser chamado de “interno”, mas até mesmo em uma única baia pode haver diversas tribos;

3.      Não existe uma mensagem para dentro e para fora em tempos de redes sociais e de compartilhamento de conteúdo em tempo real;

4.      O empregado não é sujeito passivo e vazio de conteúdo. Ele é parte ativa do processo de comunicação, então por que pensamos nele só como alguém que está lá dentro?

Empregado é múltiplo

É por isso que diversos autores, como Bruno Carramenha e Viviane Mansi, vêm, há algum tempo, sugerindo a substituição da expressão comunicação interna pela comunicação com empregados.

Assim, eu mesma, em consultorias, cursos e palestras, tenho alertado sobre 4 pontos:

1.      As empresas não disseminam sua imagem e fortalecem a reputação apenas pela imprensa;

2.      É preciso ser assessor de relacionamento estratégicos e não apenas de imprensa;

3.      Todas as campanhas e conteúdos precisam ser planejados em termos de alcance, risco e impacto, abandonando a lógica dual de dentro x fora;

4.      O empregado tem vários papéis sociais, e a empresa é apenas um dos ambientes em que ele é sujeito atuante. Por isso, precisa ser informado com conteúdos estratégicos e relevantes.

Então, o que você pensa sobre isso?

Artigo publicado originalmente na Supera Comunicação.

Gostou do texto?

Se gostou do texto, acompanhe nossos conteúdos estratégicos e  assine nossa newsletter para receber dicas de #comunicacaointegrada #Estrategia  e #planejamentodecomunicacao todo mês.

Aprofunde ainda mais seus conhecimentos em planejamento de comunicação e gestão de projetos com a nossa Formação Completa. 

Acompanhe também as aulas estratégicas toda quinta em nosso YouTube. 

Confira também as etapas do planejamento de comunicação integrada

Aprenda a criar  projeto e política de comunicação  e prevenção de crises

Você também pode gostar de:

Newsletter

Receba os cases, notícias e novidades em seu e-mail.

Materiais Educativos

A partir da nossa expertise em Planejamento de Comunicação, Estratégia e Gestão de Projetos, desenvolvemos diversos materiais educativos para sua empresa.

Acompanhe nossos materiais educativos